Finanças

Como tirar nome do vermelho?

Está cheio de dívidas, mas sonha com uma vida financeira estável e saudável? Preparamos um passo a passo para te ajudar a se livrar das dívidas de uma vez por todas. Leia nosso post e confira as informações valiosas que separamos para você!

Anúncios

por Marina Poncio

Publicado em 07/05/2022

Pague suas dívidas e fique com o nome limpo na praça

As dívidas acumularam e você não sabe como se livrar delas? Calma, com bom planejamento é possível sair dessa crise. Fonte: Adobe Stock.
As dívidas acumularam e você não sabe como se livrar delas? Calma, com bom planejamento é possível sair dessa crise. Fonte: Adobe Stock.

Se você não controlar suas contas, muitos problemas financeiros podem se tornar reais na sua vida. O grande problema é que a falta de controle pode gerar o efeito bola de neve, quando temos dívidas atrás de mais dívidas. Nesse contexto, surge uma grande dúvida sobre como tirar nome do vermelho e começar a ter novos hábitos financeiros para não ficar devendo mais nada.  

Na luta para fugir das dívidas, os brasileiros devem recorrer ao planejamento mensal financeiro. Sem dúvidas esse é o primeiro passo. A partir daí existem outras ações que podem potencializar a limpeza do seu nome. Para isso, criamos esse artigo que vai te ensinar como tirar nome do vermelho. 

Fique atento aos passos para limpar o seu nome imediatamente!

Como fazer empréstimo na Caixa com nome sujo

Está com o nome sujo, mas precisa de dinheiro? Saiba como solicitar o empréstimo para negativados na Caixa.

Anúncios

Como sair do vermelho: passo a passo para se livrar das dívidas

Como  dito anteriormente, o primeiro passo para dormir tranquilo sem se preocupar com as dívidas é manter o planejamento em dia. Contudo, sabemos como é difícil manter os gastos sob um mesmo nível, principalmente no Brasil, onde os produtos e serviços sofrem reajustes constantes. 

A partir do momento em que as dívidas acumulam você precisa manter a calma e seguir os seguintes passos para tirar o nome do vermelho com eficiência. Veja só!  

Calcule o valor total da sua dívida

Um dos passos mais importantes para tirar o nome do vermelho é saber exatamente quanto e a quem se deve. Fonte: Adobe Stock.
Um dos passos mais importantes para tirar o nome do vermelho é saber exatamente quanto e a quem se deve. Fonte: Adobe Stock.

Como é possível quitar as dívidas se não você não sabe nem quando está devendo? Bom, é por isso que o primeiro passo para entender como tirar nome do vermelho é esse. 

Essa é a hora de olhar para os boletos atrasados, faturas de cartão vencidas e financiamentos e juntar tudo em um único bloco, denominado dívidas. Um dos grandes problemas dos brasileiros é não saber quanto está saindo da sua conta e isso pode gerar muitos problemas. 

Para organizar esses pontos, você pode usar planilhas eletrônicas ou até um bloco de notas, desde que você realmente use isso com frequência. Ao anotar as dívidas, dê nome a elas, por exemplo: cartão de crédito, IPVA, letra dos automóveis, entre outras coisas. 

Alguns outros tópicos interessantes para inserir na sua planilha de gastos são:

  • Natureza da dívida;
  • Instituição;
  • Custo inicial da dívida;
  • Custo atual da dívida;
  • CET – Custo Efetivo Total (juros cobrados + taxas do crédito);
  • Quantidade de meses para pagar.

Dessa forma, além de saber quando você está gastando, saberá para onde está indo cada pedacinho do salário no início do mês.

Anúncios

Saiba qual o valor dos juros

Muitas dívidas que são adquiridas com o passar do tempo não são estáticas. Isso significa que o valor inicial não é o mesmo que você pagará no final dos pagamentos.

Esse é um comportamento padrão de empréstimos, cartões de crédito, financiamentos de casa, carro e outras coisas mais. 

Nesse contexto, você não pode se guiar pelo valor inicial do contrato. Se o empréstimo inicial foi de R$5 mil, com certeza você vai pagar mais que esse valor. Sendo assim, é necessário tomar nota de quanto de juros você paga ao mês de cada dívida.

Vale lembrar que é muito importante priorizar as dívidas com taxas de juros mais altas, como o cheque especial e o rotativo do cartão. Essas operações têm o famoso efeito de bola de neve, que causa cobranças de juros valores superiores a 200% ao ano.

Outra dica muito boa para um bom plano de pagamento é substituir uma ou mais dívidas com altos juros, por outras de mesmo valor, mas com juros menores.

Veja só: ao invés de pagar R$1500 no cartão de crédito a juros de 10% ao mês, você pode optar por um empréstimo do mesmo valor, com juros mensais de 2% ou 3%.

Liste suas receitas e despesas

Já colocou todas as dívidas na planilha? Se sim, ótimo! Agora é o momento em que vamos realizar a balança entre entradas e saídas de valores na sua conta.

Para ter uma noção geral da sua situação financeira não é necessário conhecer apenas as pendências, mas também quanto você ganha frente às despesas mensais. Ou seja, todos os ganhos fixos e variáveis devem estar presentes na planilha também. 

Se você deve menos do que ganha, então o cenário não é tão ruim. Nesse caso, é importante analisar quanto sobra do seu salário. 

Contudo, se você se vê na situação em que suas despesas superam seus rendimentos, é necessário tomar um plano de ação urgentemente. Esse é o momento de cortar o máximo dos gastos possíveis e para que você possa começar a tirar nome do vermelho. 

Elabore um plano de pagamento

Entenda como o planejamento pode lhe ajudar a tirar seu nome do vermelho. Fonte: Adobe Stock.
Entenda como o planejamento pode lhe ajudar a tirar seu nome do vermelho. Fonte: Adobe Stock.

Lembra do plano de ação? Então é aqui onde vamos detalhar um pouco mais sobre esse assunto. Criar um plano de pagamento é o próximo passo para entender como tirar nome do vermelho. 

Nesse momento, é interessante que você crie uma lista de prioridades das dívidas. O que tem menos prazo restante ou valores menores, de acordo com a sua prioridade, pode vir em primeiro lugar nos pagamentos.

De acordo com alguns especialistas, você pode usar o critério de juros para elaborar a lista de prioridades com cada uma das despesas. Vale ressaltar que essa forma de organizar é muito eficiente para quem tem dívidas de cartão acumuladas.

Entenda que, se você tem uma dívida de R$1 mil que cobra 10% ao mês (sobre o valor inicial), em um ano ela vai dobrar de valor. Em contrapartida, se  uma segunda parcela cobrar taxa de juros de 3%, ela não vai aumentar tanto como a primeira. 

Sendo assim, é mais interessante pagar aqueles credores que cobram taxas maiores de juros e só após isso, pagar as taxas mais baixas. 

Renegocie suas dívidas 

Sabemos que o mais indicado é pôr em dia todos os valores, porém há casos em que a sua realidade financeira não comporta toda essa quantidade de pagamentos. Nessa horas, a recomendação é negociar suas despesas. 

Com a lista de gastos pronta, análise qual empréstimo, financiamento ou cartão vai acumular o maior valor no longo prazo e se você tem capacidade de pagá-lo. Nos casos em que não há outra saída, é interessante recorrer à negociação.

Para isso, fique de olho nas plataformas que oferecem a renegociação dos valores devidos:

  • Acordo Certo;
  • Serasa;
  • QueroQuitar.
  • Meu acerto

Lembre-se que o interessante é conversar com o credor e dessa forma alcançar uma negociação dentro das suas condições. Assim você terá como arcar com os pagamentos da dívida até a quitação. Até porque acordos fora da sua realidade não irá resolver nada.

Negociando as suas dívidas, atualize seu planejamento financeiro de acordo com as novas parcelas ou outras condições que você estabeleceu na negociação.

Portabilidade de crédito

Nos casos em que os juros está muito alto e você poderia pagar a dívida se essa taxa fosse menor, é possível solicitar a portabilidade de crédito. Em síntese, a portabilidade é praticamente uma troca de uma dívida entre operadoras de crédito. 

Nessa operação, você encontra uma empresa que assume seu débito integralmente e você assume um novo compromisso com essa nova empresa. Esse novo compromisso de pagamento deve apresentar taxas de juros ou condições de pagamentos melhores que as anteriores, caso contrário, não seria vantajoso.

Gostou? Para saber mais confira nosso conteúdo recomendado e veja 8 dicas para sair do vermelho de uma vez por todas.

8 dicas para sair do vermelho

Você sonho em ter uma vida financeira estável e saudável? Confira aqui algumas dicas preciosas!

Sobre o autor

Marina Poncio

Formada em Gestão Financeira pela UNOPAR. Atuou como gestora de grandes empresas multinacionais. Atualmente, dedica-se à edição, planejamento e produção de conteúdo para web especializado em economia e finanças.

Revisado por

Tathiane Mantovani

Editor(a) sênior

Em Alta

content

Como abrir conta Inter Kids

Aprenda a usar o site ou o aplicativo do banco Inter para abrir uma conta Inter Kids e aproveitar todos os benefícios oferecidos. Saiba mais aqui!

Continue lendo
content

Empréstimo Bom pra Crédito ou empréstimo Caixa: qual o melhor?

Está em dúvida se o empréstimo Bom para Crédito ou empréstimo Caixa é ideal para você? Confira nosso conteúdo para tirar suas dúvidas!

Continue lendo
content

Cartão Ourocard universitário ou Cartão Digio: qual escolher?

Certamente, quem escolher entre o cartão Ourocard Universitário ou cartão Digio, não terá anuidade, mas conta com altos limites. Decida!

Continue lendo

Você também pode gostar

content

Conheça o empréstimo pessoal Ciclic

O empréstimo Ciclic está disponível em três modalidades para os seus clientes: imóvel como garantia, automóvel como garantia e crédito pessoal. Assim, você pode analisar todas as opções e aproveitar as suas vantagens, como taxas reduzidas e prazos estendidos. Conheça aqui!

Continue lendo
content

Conheça a conta à ordem CGD Conta S

Quer uma conta simples para as principais operações do dia a dia e quer redução em comissões para isso? Se sim, veja mais informações sobre a conta à ordem CGD S e veja se é ideal para si. Saiba mais abaixo.

Continue lendo