Educação Financeira

Como calcular juros de empréstimo ou dívida?

Você sabe calcular juros de empréstimo ou dívida? Não? Então, não se preocupe, pois vamos te dar o passo do cálculo para esses juros! Confira!

Anúncios

por Joyce Viana

Publicado em 09/07/2021

Entenda como é o cálculo de juros de empréstimos

Como calcular juros de empréstimo ou dívida? Imagem: investir sardinha
Como calcular juros de empréstimo ou dívida? Imagem: investir sardinha

De início, a ideia de pedir um empréstimo para quitar uma dívida pode ser uma ótima alternativa mas, e se você não paga o empréstimo na data certa e os valores da dívida se acumulam? Como fazer para calcular os juros de empréstimo ou dívida?

O fato é que se você não sabe sobre o cálculo dos juros e a diferença entre juros simples e compostos, não se preocupe. Pois, hoje vamos te contar tudo sobre os juros de empréstimo!

O que são e como funcionam os juros de empréstimo?

Como calcular juros de empréstimo ou dívida? Imagem: o liberal
Como calcular juros de empréstimo ou dívida? Imagem: o liberal

Então, os juros de empréstimo são as remunerações que o credor recebe pelo crédito emprestado. Isso significa que, a pessoa ou instituição financeira que forneceu o crédito, ou seja, o dinheiro, recebe uma porcentagem sobre este valor – os juros de empréstimo.

Isso porque, eles servem para cobrir os custos com a transação e, são responsáveis pelo lucro do credor.

Importante mencionar que, a pessoa ou instituição financeira que disponibiliza o dinheiro do empréstimo é chamada de credor. Por outro lado, o indivíduo que recebe o crédito é, chamado de devedor.

Portanto, os juros de empréstimo precisam ser bem calculados para que não se torne uma grande bola de neve cheia de dívidas!

10 empréstimos com as menores taxas de juros

Precisa de dinheiro urgente para limpar nome? Conheça os empréstimos com as menores taxas de juros para retomar as rédeas da sua vida financeira.

Como calcular juros simples de empréstimo?

Então, para calcular juros simples de empréstimo vamos te dar o passo a passo!

De início, a taxa é aplicada somente ao capital inicial, isso significa que o crescimento da dívida é linear. Então, suponhamos que você tenha emprestado R$1.000,00 a uma taxa de juros de 10% ao ano durante 3 anos. Assim:

  • 1º ano: R$ 1.000,00 a 10% = R$ 1.100,00 (R$ 100,00 de juros);
  • 2º ano: R$ 1.100,00 a 10% = R$ 1.200,00 (+ R$ 100,00 de juros);
  • 3º ano: R$ 1.200,00 a 10% = R$ 1.300,00 (+ R$ 100,00 de juros).

Ou seja, depois de três anos, você receberá cerca de R$1.300,00: a soma dos R$1.00,00 emprestados + R$300 de juros simples. Nisso, os juros de cada período serão de R$100,00.

Isso porque, a taxa de 10% incide sobre o valor inicial e não inclui os juros do período, como ocorre nos juros compostos.

E além disso, há também a seguinte fórmula matemática: J = C * i * t onde:

  • J = Juros
  • C = Capital emprestado
  • i = Taxa de juros do período
  • t = Tempo.

Assim, aplicando-se na fórmula: R$ 1.000,00 (C = capital emprestado) para pagar no período de três anos (t = tempo) a uma taxa de 10% ao ano (i = taxa de juros do período), a fórmula se dará dessa forma:

J = C * i * t

  • J= R$ 1.000,00*0,1*3
  • J= R$ 300,00.

E assim, os juros do empréstimo de juros somam R$ 300,00, sendo importante mencionar que a taxa de juros foi transformada em número decimal, ou seja, 10% se transformou em 0,1.

Qual a fórmula para calcular juros compostos?

E agora que, você já sabe como calcular juros simples, vamos te ensinar o passo a passo dos juros compostos.

Para isso, a primeira diferença com relação aos juros simples é a aplicação da taxa que, no caso dos juros compostos será aplicada sobre os juros incorporados ao capital inicial no decorrer do tempo, sendo chamado de juros sobre juros.

Nisso, a forma de crescimento dos juros compostos é exponencial. Então, vamos ao exemplo: Seguindo o mesmo exemplo dado pelos juros simples: Capital de R$1000,00 emprestado a uma taxa de juros compostos de 10% ao ano durante 3 anos.

  • 1º ano: R$ 1.000,00 a 10% = R$ 1.100,00 (R$ 100,00 de juros)
  • 2º ano: R$ 1.100,00 a 10% = R$ 1.210,00 (+R$ 110,00 de juros)
  • 3º ano: R$ 1.210,00 a 10% = R$ 1.331,00 (+R$ 121,00 de juros)

Nisso, retirando-se os R$1.000 (capital emprestado) dos R$1.331,00 ( capital + juros do período), temos R$331,00 de juros compostos. Assim, a fórmula usada será: M = C(1+i)^t onde:

  • M = Montante a pagar
  • C = Capital emprestado
  • i = Taxa de juros
  • t = Tempo.

Sendo M =R$ 1.000,00*(1+0,1)^3 = R$ 1.000,00*(1,1)^3

M = R$ 1.000,00*1,331 = R$ 331,00.

Assim, subtraindo-se o capital investido do montante você irá descobrir o valor do juro, sendo R$331,00 de juros.

Como calcular juros compostos com parcelas diferentes?

Como calcular juros de empréstimo ou dívida? Imagem: konta azul
Como calcular juros de empréstimo ou dívida? Imagem: konta azul

Então, nos juros compostos, a segunda parcela representa 10% sobre o valor da parcela anterior. Isso quer dizer que, suponhando que uma instituição aplique uma taxa de 10% ao mês para quitar a dívida e sendo R$100 o valor da parcela, então no primeiro mês, os juros seriam cerca de 10% deste valor.

Ou seja, R$10 resultando em R$110,00. Nisso, a segunda parceria representaria 10% de R$110, totalizando R$121,00, pois, 10% de R$110,00 é R$11,00. Então, os valores das parcelas serão diferentes a cada mês, mas os juros representarão sempre 10% da parcela paga no mês anterior.

Como calcular juros de uma dívida?

Então, como mencionamos anteriormente, há duas formulas de calcular os juros: simples e compostos.

Nisso, os juros compostos é a fórmula mais utilizada, sendo utilizada no mercado financeiro em cálculo de financiamentos e empréstimos.

Por outro lado, os juros simples são pouco comuns, mais usados em operações de curto prazo. Portanto, seguindo o passo a passo que te ensinamos acima, você conseguirá calcular os juros de uma dívida, para então conseguir se planejar a longo prazo!

Segue abaixo um conteúdo recomendado que poderá te ajudar nessa jornada da educação financeira!

Vale a pena abrir uma Poupança?

Abrir uma poupança pode trazer segurança, mas já não é mais tão vantajoso em termos de rendimento. Então vale a pena? Confira sobre isso aqui!

Sobre o autor

Joyce Viana

Graduada em Direito pela PUC Minas. Pós Graduada em Direito Penal e Processo Penal pela Faculdade Legale. É produtora de conteúdo para diversos nichos, desde receitas e finanças, até beleza e saúde. Desde criança, fez da escrita sua melhor amiga, e nunca mais parou!

Revisado por

Tathiane Mantovani

Editor(a) sênior

Em Alta

content

Conheça o empréstimo imobiliário KeyCash

O empréstimo imobiliário KeyCash tem juros a partir de 0,82% ao mês e prazo para pagamento de até 240 meses. Confira aqui tudo sobre ele!

Continue lendo
content

Qual a diferença entre protesto e negativação?

Muitas vezes sabemos que o nome está sujo, mas não sabemos exatamente como. Saiba a diferença de protesto e negativação para saber resolver

Continue lendo
content

Como se preparar para concursos da Receita Federal 

Saiba tudo sobre os concursos da Receita Federal e confira informações sobre o processo seletivo que acontecerá em 2022!

Continue lendo

Você também pode gostar

content

Conheça a conta à ordem Crédito Agrícola Base

Com a conta à ordem Crédito Agrícola Base, é possível abrir uma conta que possui os serviços bancários básicos ideais para o seu dia a dia. Além disso, ela conta com cartão de débito sem anuidade e transferências intrabancárias nacionais gratuitas. Saiba mais, a seguir.

Continue lendo
content

Conheça a conta à ordem Bankinter Jovens

Com isenção em comissões e cartão e crédito disponível, a conta Bankinter Jovens é ideal para quem está entrando na vida adulta. Saiba mais sobre ela no post a seguir.

Continue lendo
content

Veja como adquirir seu informe de rendimentos no C6 Bank

O informe de rendimentos é um documento essencial para preencher de maneira correta a declaração do Imposto de Renda. Se você é cliente C6, é possível obter o registro através do app ou do Internet Banking de maneira simples e rápida. Veja aqui como fazer!

Continue lendo