Crédito para Construção

Conheça o empréstimo Itaú Construshop

Quer construir, reformar ou decorar seu imóvel do jeito que você sempre sonhou? Conheça o empréstimo Itaú Construshop e torne seu sonho realidade!

Anúncios

Itaú Construshop: até 54 meses para pagar

Conheça o empréstimo Itaú Construshop. Fonte: Banco Itaú.
Conheça o empréstimo Itaú Construshop. Fonte: Banco Itaú.

Antes de mais nada, o empréstimo Itaú Construshop é uma linha de crédito oferecida aos correntistas do banco Itaú para a construção, reforma ou decoração de imóveis. Com ele, você consegue comprar materiais de construção, de decorações e móveis que você sempre sonhou para deixar sua casa do seu jeito.

Pois bem, você acredita que o Itaú Construshop é a linha de crédito ideal pra você? Então, continue a leitura para saber mais!

Como solicitar o Itaú Construshop

Se você quer construir, reformar ou decorar o seu imóvel o Itaú Construshop pode ser a linha de crédito ideal para você! Confira aqui como solicitar.

Anúncios

Como funciona o empréstimo  Itaú Construshop?

Como funciona o empréstimo. Fonte: Pexels.
Como funciona o empréstimo. Fonte: Pexels.

Primeiramente, o empréstimo Itaú Construshop é ideal para a construção, reforma ou decoração de imóveis. Ele é uma opção somente para clientes do Itaú e para quem tem um limite pré-aprovado com o banco.

Para solicitar o serviço, você pode solicitar o valor desejado com o gerente da sua conta e vai passar por uma análise de crédito, aonde o banco vai verificar seu histórico financeiro.

Em caso de aprovação, você recebe um cartão de débito Mastercard com o limite que foi disponibilizado. Em seguida, deve ir até uma agência Itaú para efetuar o desbloqueio do cartão para começar a utilizá-lo.

Ademais, o cliente pode escolher de 3 a 6 meses para efetuar as compras que deseja e nesse período só paga os juros do que foi comprado. Só depois desse tempo que começa a ser cobrado o financiamento, ou seja, o valor total do que foi gasto. Além do mais, você tem até 54 meses para efetuar o pagamento de todas as parcelas e o valor é debitado mensalmente em sua conta corrente.

Também é importante lembrar que se você não usar todo o limite do seu Itaú Construshop, o valor volta pra sua linha de crédito.

Qual o limite do empréstimo Itaú Construshop?

Pois bem, com o Itaú Construshop é possível fazer um financiamento de até R$ 300 mil, porém o valor disponível pode variar de cliente para cliente, já que além de ser necessário um limite pré-aprovado, o banco faz uma análise de crédito em que verifica a sua renda mensal e a probabilidade de pagamento.

Anúncios

Empréstimo Itaú Construshop vale a pena?

Em primeiro lugar, antes de solicitar uma linha de crédito é importante entender a necessidade da contratação e fazer um orçamento mensal para ter certeza que as parcelas cabem no seu bolso.

O empréstimo Itaú Construshop possui baixas taxas de juros quando comparado a um empréstimo pessoal, e oferece boa flexibilidade no pagamento das parcelas. Além do mais, você tem até 6 meses para começar a pagar o financiamento, o que significa mais tempo para organizar seu orçamento.

Ademais, o Itaú Construshop tem a vantagem de ser uma linha de crédito com cartão e não com crédito em conta, portanto você tem mais controle com os seus gastos. Além disso, como o valor das parcelas debitadas mensalmente em sua conta corrente, você também não precisa se preocupar com boletos ou em perder a data do pagamento.

Contudo, esse é um serviço disponível apenas para correntistas do Banco Itaú, e você precisa ter um limite de crédito pré-aprovado para fazer a solicitação.

Como fazer um empréstimo Itaú Construshop?

Como fazer o empréstimo? Fonte: Pexels.
Como fazer o empréstimo? Fonte: Pexels.

Antes de mais nada você precisa ter uma conta no banco Itaú e ter um limite pré-aprovado. Então, pode solicitar o serviço através do site, de um caixa eletrônico ou da agência bancária.

Após a solicitação, você passa por uma análise de crédito na qual a instituição financeira verifica sua renda mensal e possibilidade pagamento.

Por fim, se o seu pedido for aprovado, você recebe um cartão de débito Mastercard com o limite acordado, faz o desbloqueio em um caixa eletrônico e já pode fazer suas compras nas mais de 148 mil lojas credenciadas em todo o Brasil.

Ademais, quer saber mais detalhes sobre o processo de solicitação do empréstimo Itaú Construshop? Então, clique no conteúdo recomendado e confira!

Como solicitar o Itaú Construshop

Se você quer construir, reformar ou decorar o seu imóvel o Itaú Construshop pode ser a linha de crédito ideal para você! Confira aqui como solicitar.

Sobre o autor

Aline Barbosa

Escritora e produtora de conteúdo para diversos assuntos, é apaixonada pela escrita e pelo novo. Sempre em busca de conhecimento, tem como objetivo transmitir o que aprendeu de forma leve e descomplicada.

Em Alta

content

Conheça o cartão de crédito Mercado Pago

Que tal conhecer o cartão de crédito Mercado Pago que tem uma conta digital gratuita com muitos benefícios? Então, confira os detalhes aqui!

Continue lendo
content

Cartão de crédito Kabum: o que é e como funciona

Com o cartão de crédito Kabum, você recebe cashback exclusivo e ainda participa do programa de benefícios Vai de Visa. Confira aqui!

Continue lendo
content

Empréstimo Caixa consignado: como funciona

Saiba como funciona o empréstimo Caixa consignado, com tarifas reduzidas e desconto em folha. Ideal para necessidade de dinheiro rápido!

Continue lendo

Cartões

Pagamento mínimo do cartão de crédito vale a pena?

Sabe aquela possibilidade de pagamento somente um valor mínimo da fatura do cartão de crédito e acumular o valor? Será que vale a pena? Veja!

Evite dívidas no cartão de crédito

Ter o primeiro cartão de crédito é o começo de um sonho, até o momento de ter que decidir entre fazer ou não o pagamento mínimo. Isso porque, seu limite de crédito vai aumentando e a vontade de gastar mais é ainda maior. Porém, todas essas vantagens podem cair por terra se você não tiver dinheiro para quitar a fatura toda no fim do mês.

Nessa situação é muito fácil perder o controle das dívidas e acabar ficando com o nome sujo. Por isso, é provável que você já tenha ouvido falar de alguém que entrou um uma “bola de neve”. Isso por causa de dívidas no rotativo do cartão. Mas aqui você vai saber o que fazer quando não houver dinheiro para pagar o total da fatura do cartão.

O pagamento mínimo pode te colocar em uma pior se você não souber organizar suas dívidas, pois o valor fica cada vez mais alto. Isso se deve aos juros, multa por atraso, juros de mora e o IOF. Eles fazem com que o valor da fatura do próximo mês fique cada vez mais incabível no seu orçamento.

Sabemos que, problemas com cartão geram muitas dúvidas. Por isso, preparamos esse post para te alertar e mostrar porque você não deve pagar o mínimo da fatura. Continue com a gente para saber tudo sobre pagamento mínimo.

Como funciona o pagamento mínimo no cartão de crédito?

Geralmente o pagamento mínimo está indicado do lado do valor total da fatura, é um valor bem menor que o total e muitas pessoas optam por ele por ser uma ação simples. Além disso, para realizar o pagamento, o cliente não precisa negociar com a empresa, tornando a decisão cada vez mais prática.

O pagamento mínimo nada mais é que o recurso oferecido para o cliente que não tem condições de pagar a fatura no valor integral. Quando o mínimo é pago, o cliente entra no rotativo do cartão, isso significa que ele não ficará inadimplente nem terá o seu cartão bloqueado.

Por outro lado, o restante da fatura que não foi paga é encarado como um empréstimo. Então, é cobrado na próxima fatura acrescido de juros altíssimos e multas por atraso sobre a quantia que não conseguiu pagar.

Vale a pena fazer o pagamento mínimo no cartão de crédito?

A alternativa do pagamento mínimo pode ser uma das piores decisões que você irá tomar. Por isso, fique atento às regras e todo procedimento desse recurso oferecido para você. Afinal, o que está em jogo aqui é o seu dinheiro. E você sabe muito bem que ele não cai do céu para pagar juros e mais juros abusivos.

Vamos te dar um exemplo: Carla tem uma fatura de R$ 1.000,00 reais, mas não poderá pagar o valor total esse mês. Então, ela opta pelo rotativo e paga o mínimo no valor de 150,00 reais. Nesse caso, ela vai dever R$ 850,00 que será financiado no mês que vem.

Sobre os R$ 850,00 Carla também irá pagar o valor dos juros rotativo (por volta de 15,85%), multa por atraso (2% ao mês), juros de mora (1% ao mês) e o IOF (Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbios e Seguros). Então a próxima fatura vai sair de R$ 850,00 para R$ 948,72. Ou seja, R$ 98,72 só de encargos.

Se Carla continuar empurrando a dívida todo mês no rotativo, pagando sempre o mínimo, perceba que o valor crescerá gradualmente todo mês. Portanto, em seis meses a dívida que era apenas de R$ 1.000,00 para R$ 1.708,90 fazendo o débito multiplicar, crescendo assim a bola de neve.

Desse modo, o pagamento do valor mínimo só vai fazer você pagar ainda mais a cada mês. E com esse acúmulo de dívidas, fica cada vez mais difícil conseguir quitar tudo e voltar a ter tranquilidade nos seus pagamentos.

Vale mais a pena o pagamento mínimo ou o parcelamento da fatura?

Seja optando pelo parcelamento da fatura ou por pagar aquele valor mínimo quase insignificante comparado ao total, essas alternativas mesmo parecendo atrativas, vão demandar de você muita organização e planejamento financeiro para conseguir quitar tudo.

O financiamento é feito a parcelas a perder de vista e o pagamento mínimo é regado de juros abusivos e multas que fazem você pagar mais do que realmente deve. Ou seja, essas alternativas não vão te ajudar a longo prazo.

Lembrando que imprevistos podem acontecer e te complicarem ainda mais, impedindo que você honre os pagamentos, aumentando o risco de inadimplência.

Portanto, independente da regra, o ideal é pagar o valor integral da fatura sem choro. Assim você quita seus compromissos e não empurra a mesma dívida para o dia seguinte, que acumula e fica cada vez maior. Desse modo, estar livre para fazer novas compras sem cobrança de juros, multas ou impostos é a melhor opção.

Novas Regras do Cartão de Crédito

Para proteger o consumidor contra dívidas impagáveis, o Banco Central mudou as regras do cartão de crédito. A partir de 3 de abril de 2017 o cliente sem dinheiro para pagar o valor total da fatura poderá ficar no máximo 30 dias no rotativo.

Ou seja, no mês seguinte não haverá mais a opção de pagamento mínimo, forçando o cliente a escolher entre: pagar o valor total ou parcelar a fatura negociando com o banco. De acordo com a nova regra você tem a garantia que o valor da taxa de parcelamento será menor que a taxa de juros do rotativo.

Por fim, o valor mínimo só será disponibilizado de novo quando o cliente pagar todo o saldo devedor seja de forma integral ou parcelado. Essa regra faz com que o cliente não entre na bola de neve, que é o pagamento de juros sobre juros.

Outra mudança significativa é que até julho de 2018 o mínimo do rotativo estava limitado a 15% da fatura, ou seja, em uma fatura de R$ 1.000,00 reais o cliente pagava o mínimo por R$ 150,00 reais.

Mas desde então a regra mudou e a instituição financeira não está mais presa aos 15%, podendo estipular a porcentagem mínima da fatura com base no perfil do consumidor, no produto, ou no risco da operação. Sendo assim, o mínimo pode mudar para mais ou para menos.

O que fazer para evitar o pagamento mínimo no cartão de crédito

Aqui você vai conhecer as principais dicas para evitar o pagamento mínimo e ter tranquilidade no fim do mês. Mas antes de tudo saiba que a melhor forma de isso acontecer é investindo na sua educação financeira. Esse é um tema muito pouco conversado no Brasil e só vamos aprender a cuidar do nosso dinheiro na hora da necessidade ou quando passamos por complicações no SPC ou Serasa.

Por isso, não deixe para depois e invista seu tempo organizando suas finanças e gastos mensais. Conheça agora algumas atitudes que você pode tomar para não cair em crédito rotativo.

Estabeleça um limite de gasto com o cartão de crédito

Quando você é reconhecido pela instituição financeira como um bom pagador, eles deixam o seu limite de crédito cada vez maior para gastar com o que quiser. Porém, quanto maior o limite que eles concedem a você, maior fica a vontade de gastar.

Essa liberdade de passar tudo no cartão pode fazer com que você perca o controle das suas dívidas e não perceba que está gastando mais que o normal. E quando por fim a fatura chega no fim do mês os valores estão exorbitantes quase impossíveis de pagar.

Por isso é importante estabelecer um limite de gastos com o seu cartão. Dessa forma você não corre o risco de gastar mais do que ganha e não poder pagar depois.

Evite parcelamentos longos

Sabemos que parcelamento é uma ótima oportunidade para que as pessoas comprem produtos de alto valor em partes por mês e muitas vezes sem juros. Por isso, utilize essa oportunidade com consciência.

O risco que você corre parcelando em 12 vezes é simplesmente ter parte da sua renda comprometida por um ano inteiro. E nesse meio tempo podem ocorrer gastos inesperados ou apenas descontrole financeiro da sua parte que comprometam o pagamento no final do mês.

Por isso, na hora de fazer pagamentos opte o máximo por pagamentos à vista. Parcelar um celular em 12 vezes, por exemplo, pode fazer com que você perca o controle no pagamento quando o valor for somado com as outras compras que você também parcelou.

Portanto, evitar parcelamentos longos te dão mais segurança para utilizar o seu cartão sem se complicar no futuro.

Mas para fazer grandes parcelamentos, fique atento a todos os seus gastos e organize-os em uma planilha. Dessa forma, você sempre vai saber quando suas maiores dívidas acabam e assim pode fazer outras compras significativas com a segurança de que vai conseguir pagar.

Não faça compras por impulso

Aquela promoção relâmpago que dura até hoje pode esperar se você quiser. Geralmente, as lojas entram em promoção em datas comemorativas e significativas para o mercado, então escolha esperar, fique atento às datas e se organize financeiramente para aproveitar a próxima promoção.

Essa é uma dica importantíssima. Evite ao máximo fazer compras por impulso, pois assim você perde a chance de fazer uma compra realmente necessária com o cartão porque já gastou demais.

Para que isso dê certo, não leve o seu cartão de crédito pra todo lugar com você, ele pode fazer com que você gaste com itens desnecessários e que não estava planejado pra isso. Então para não correr o risco de se complicar no fim do mês, aprenda a se controlar financeiramente.

Apenas ande com o cartão quando tiver planos de fazer uma compra, se você sair pra todo lugar com ele, facilmente será persuadido pelas promoções e produtos que você nem sabia que precisava.

Avalie a necessidade de um empréstimo pessoal online

Empréstimo pessoal também conhecido como crédito pessoal é oferecido por instituições financeiras e é de fácil acesso, uma opção para quem precisa de dinheiro com rapidez para imprevisto ou quitar dívidas.

Há a opção de portabilidade de crédito em que é possível fazer a transferência da sua dívida para outra instituição financeira com condições melhores. Assim aumentando a competitividade entre as instituições.

Essa operação é um direito do consumidor e tem o objetivo de oferecer condições mais justas para o brasileiro que ainda paga caro em muitas linhas de crédito por falta dessa informação.

Dessa forma você tem a oportunidade de trocar uma dívida cara por outra mais barata, melhorando as condições de pagamento e reduzindo taxas de juros.

Já me enrolei nos juros do rotativo e agora?

Se o seu problema no cartão de crédito for crônico, considere seriamente cancelar esse serviço. Por outro lado, se foi uma situação pontual que pegou você desprevenido, é possível fazer as pazes com ele e passar a usá-lo com moderação.

Se você já se perdeu nos juros do rotativo do seu cartão de crédito, fique calmo que há uma saída para tudo. Agora é hora de negociar a dívida e quitar o quanto antes.

  • Comece tomando consciência do valor total da sua dívida e entendendo quais são seus direitos como consumidor que está devendo para não cair em práticas abusivas.
  • Pare de usar o cartão até conseguir ter controle financeiro e quitar suas dívidas.
  • Some suas dívidas e o quanto você ganha para conseguir ter uma média do valor de parcelas que pode pagar por mês, para assim poder cogitar um possível parcelamento da fatura
  • Você também pode fazer um empréstimo e quitar as dívidas caras, trocando os juros abusivos do cartão pelos juros do empréstimo que podem ser negociáveis e mais baixos.

Dessa forma, você não terá que fazer o pagamento mínimo do cartão de crédito por não ter recursos suficientes para quitar a fatura e nem precisará se complicar com as dívidas descontroladas.

8 opções de cartão de crédito com nome sujo

Sabia que é possível solicitar um cartão de crédito mesmo estando com o nome sujo? Veja as melhores opções no mercado e escolha a sua.

Você também pode gostar

content

Cartão Saraiva ou Cartão Santander SX?

Para decidir entre o cartão Saraiva ou Santander SX, saiba que ambos possuem programas de pontuação e bandeiras internacionais. Saiba mais!

Continue lendo
content

Cartão Mercado Pago ou Cartão Brazilian Business Bank: qual escolher?

Seja o cartão Mercado Pago ou cartão Brazilian Business Bank, ambos têm cobertura internacional e você controla as finanças pelo app. Confira!

Continue lendo
content

Como solicitar o empréstimo Click Cash

O empréstimo Click Cash te ajuda a pagar as suas dívidas e a realizar os seus sonhos. Quer saber como solicitar? Então, leia este post e confira!

Continue lendo